TEXTO PASCAL

Meus queridos irmãos da Equipe da SR e CRR
Vamos usar nossa imaginação para fazer o caminho descrito por Lucas 24, 13-29:

“Por que procurais entre os mortos Aquele que está vivo?” (24,5)
Vivendo o espírito da Páscoa, na alegria do anúncio da Ressurreição, vamos fazer o caminho de Emaús. Caminhos que já percorremos algumas vezes, à semelhança dos discípulos, com o rosto sombrio, assustados com a violência.

Imagine Você e sua esposa fazendo esse caminho e repetindo as palavras dos discípulos: “Nós esperávamos que fosse ele o libertador de Israel… já faz três dias que tudo isso aconteceu!” (21-22). Há momentos, em nossa vida, em que olhamos para os acontecimentos, ficamos tristes e quase sem esperança, porque há três dias não recebemos a resposta de Deus aos nossos pedidos… Dá-nos a sensibilidade de Maria para confiar nas Promessas de Deus que nunca falham.

Mas, no meio da caminhada, um Peregrino que nunca abandona seus discípulos amados, entra no meio da conversa. Não percebemos. Nossos olhos estão voltados para nós mesmos, apegados aos nossos interesses egoístas, cegos, incapazes de “ver” além de nossos intresses individuais: “Alguns dos nossos foram ao túmulo encontraram tudo como as mulheres tinham dito. Mas ninguém viu Jesus” (24). Cura nossa cegueira, Senhor, E ajuda-nos a ver além das aparências e tudo enxergar com os olhos da fé.

Mais alguns passos na caminhada da “escuta” e nossos corações vão se abrindo, a ponto de reconhecer que “nosso coração estava ardendo quando Ele nos falava pelo caminho e nos explicava as Escrituras” (32). Ó Senhor, como somos lentos para ouvir e entender as Escrituras! Como nosso tempo está tão ocupado, a ponto de não termos tempo para o Senhor!

Mas, a insistência do Mestre em falar, abrir nosso coração ao Espírito Santo, perseverar na “conversa”, com paciência e mansidão, nos leva a fazer o convite: “Fica conosco, Senhor, pois, já é tarde, e a noite vem chegando!” 29). Se o Senhor for embora, seguir adiante e nos deixar para trás, não vamos suportar a escuridão. Fica conosco! (Éremon).

Antes de entrar em nosso interior, o Peregrino ainda deixa uma sugestão: “Como vocês custam para entender e como demoram para acreditar… Será que o Messias não devia sofrer… E começando por Moisés, passando pelos Profetas, Jesus explicava…” (25-27).

Jesus não resiste ao convite. Foi Ele quem pôs em nosso coração o desejo de sentar-se à mesa, fazer comunhão. Comunhão de pessoas. Não somos nós quem convidamos. O desejo já está no coração. Senhor, a noite vem chegando… O tempo vai passando… Que o desejo e o tempo para nos encontrarmos convosco não seja mais longo que a estrada que vai de Jerusalém a Emaús!.

Padre Luiz Carlos F. Magalhães, Campinas.
Abril de 2008