Inércia dos pais – fala Papa Francisco

Queridos Pais
O Papa Francisco está preocupado com os pais e sua função na família. Ele alertou para as consequências de uma crise da paternidade nas famílias e na sociedade civil que leva a um “sentimento de orfandade”. Em audiência pública ele lamentou: “Os pais centraram-se de tal forma em si próprios e no seu trabalho, às vezes nas suas realizações individuais, que acabam por esquecer-se até da sua família, e deixam sozinhas as crianças e os jovens”. Francisco revelou que, já como Arcebispo de Buenos Aires, questionava os pais sobre o tempo que dedicavam às brincadeiras com os filhos e que, “na maioria dos casos, o pai estava ausente e não queria perder tempo”. Segundo o Papa, depois de uma época de “autoritarismo”, a figura do pai foi “simbolicamente ausente, sumida, removida” da cultura ocidental, passando-se assim “de um extremo ao outro”. Francisco está enviando essa mensagem especial para os pais, alertando-os contra as consequências dessa atitude negativa dos pais. Ele é incisivo quando fala da ”inércia dos pais, falta de exemplos e de autoridade causando lacunas e feridas que podem ser muito graves” e repercutir no futuro. Recorda que reina entre os jovens um sentimento de orfandade. E isso “é, hoje, muito mais profundo do que se pensa”. Sem dúvida que, esta constatação provoca uma reflexão por parte dos pais uma vez que, mesmo presentes fisicamente, diz o Papa, “não dialogam com os filhos nem se apresentam como figuras de referência passando princípios, valores e regras de vida”. É muito sério ouvir o Papa dizer que “os pais não sabem bem, às vezes, que lugar ocupam na família e como educar os filhos; então, na dúvida, abstém-se, afastam-se e descuram as suas responsabilidades”. Enfim, fala Francisco positivamente: os pais precisam ser “companheiros” para os filhos, “sem se esquecer de que são pais, e precisam exercer sua autoridade e responsabilidade em relação aos filhos”. O Papa sempre foi um ótimo conselheiro para as famílias. Por isso, vale a pena ouvi-lo, levar a sério suas palavras e tomar uma atitude. O que se planta hoje se colhe amanhã, nos dia a Bíblia. Os pais são como agricultores lançando sementes no coração e nas mentes dos filhos. Côn. Luiz Carlos F. Magalhães é jornalista e pároco da Paróquia Cristo Rei mês de abril de 2015 .                                                                                   OUTROS ARTIGOS – fogodaterra.blogspot.com.br