Projeto missa das crianças

Missa_criancasMissa como experiência de vida

Além dos Encontros de Catequese, monitorados pelas catequistas, a Paróquia Cristo Rei oferece aos pais a Missa das Crianças que tem os seguintes objetivos: iniciação à oração, à liturgia e à vida comunitária; apresentação dos ensinamentos de Jesus, através de historinhas infantis (teatro), com temas extraídos do evangelho do dia; e, ainda, auxilia a Catequese e a Família na tarefa de ajudá-los a cultivarem, na prática, a desenvolver hábitos e valores como disciplina, firmeza, limites e respeito. Toda a vivência da Missa acontece sempre com a participação conjunta dos pais, do pároco, das catequistas e das equipes específicas da missa das crianças, além da participação integral das crianças na procissão de entrada, nas leituras e preces, na função de acólito e nas historinhas

1. as contadoras de História: reúnem-se com freqüência para estudar o evangelho, definir a mensagem central do dia e sugerir uma idéia-central para a montagem da peça. Contam com um grupo de crianças que se inscreveram para participar, como atores, nas peças; contam também com uma sala para guardar material de teatro, na maioria, material reciclado e feito pelos próprios agentes. As historinhas são enviadas ao pároco, com antecedência, para alguma possível observação;

2.as crianças: participam da procissão de entrada, ajudam como acólitos no altar. fazem leituras, colocam transparências de músicas no retroprojetor, levam as ofertas de mantimentos, a coleta e os objetos sacros para o altar; cantam fazendo gestos e entram na “fila da comunhão” para receber o “pãozinho abençoado”;

3.equipe de apoio cuida da escolha das crianças-leitoras, escolha de acólitos, divisão de outras funções, como procissão de ofertas, coletas e apresentação de mantimentos, atendimento às crianças e mães e, ainda, ficam atentas para necessidades não-previstas;

4.Grupos de cantos: há dois grupos de canto compostos de jovens e adolescentes, assistidos por adultos, que tocam guitarra, teclado, violão e bateria; escolhem cantos apropriados para a celebração com crianças e que possam ser acompanhados de gestos; as músicas são projetadas na tela através de transparências. Ninguém tem papel algum nas mãos para ficarem livres para os gestos e movimentos.

5.Ministros de Comunhão: acompanham a celebração, distribuem a comunhão aos fiéis, purificam os cálices e distribuem o “pão abençoado” para as crianças.

6.Pároco: dirige, anima e conduz a celebração, procurando estar próximo das crianças e manter o clima de oração, disciplina e ordem; acompanha as crianças e participa do canto, dos gestos e da breve reflexão após a historinha; aproveita todas as ocasiões para valorizar o apoio dos pais, a criatividade das peças de teatro, a perseverança dos adolescentes no canto, o esforço dos leitores e a atenção e dedicação da equipe de apoio.

Este Projeto foi desenvolvido em diferentes Paróquias e, ao longo do tempo, se aperfeiçoando. As crianças se sentem atraídas por causa da peça de teatro, dos cânticos com gestos e do “pão abençoado” que recebem. É comum ouvir comentários dos pais a respeito das crianças que repetem as historinhas em casa e na escola, para a família e colegas. Costumo dizer que as crianças vêm à missa por convicção e os pais, por obrigação.

As equipes atuam simultaneamente, integradas, cada uma cumprindo a sua tarefa: contadores de história, catequistas, grupo de canto, o pároco, os Ministros da Comunhão e a equipe de apoio.

Durante a missa, as crianças estão sempre ocupadas: são convidadas a participar pelo ritmo das músicas, pelas historinhas infantis, pelas procissões, cânticos com gestos, os símbolos,  a entrega das ofertas, dos mantimentos e do dinheiro, no altar; e ainda a “comunhão” do pão abençoado. O Pároco sempre conclui a historinha com uma breve alocução, às vezes para os pais, às vezes para as crianças.

Crianças de todas as idades participam da missa, muitas delas no colo dos pais. Há muitos pais – pai e mãe – que carregam seus filhinhos na procissão de entrada, sentam-se no chão para acompanhar as historinhas, acompanham na fila do pão bento e colaboram com a ordem e a disciplina.

Como em todas as missas, após o acolhimento feito às pessoas que participam pela primeira vez ou são de outras cidades, canta-se um ‘mantra’ chamando a atenção para o Ato Litúrgico. No momento da consagração consegue-se um silêncio absoluto, de adoração e contemplação, e após a comunhão, sempre a assembléia toda canta uma música de interiorização.

Motivação Evangelizadora

A Paróquia Cristo Rei, em Campinas, tem um Projeto que tem dado certo. A Missa das Crianças é preparada com todo carinho: é um Projeto desenvolvido por diferentes Equipes que atuam simultaneamente: contadores de história, catequistas, dois grupos de canto, o pároco, os Ministros da Comunhão e a equipe de apoio, que prepara leitores, acólitos e as procissões com crianças. As músicas são projetadas na tela através de transparências. Ninguém tem papel algum nas mãos para ficarem livres para os gestos e movimentos.

As crianças estão sempre ocupadas, convidadas a participar pelo ritmo das músicas, pelas historinhas infantis, pelas procissões, cânticos com gestos e símbolos; conduzem as cestinhas de coleta, os pacotes de mantimentos doados e as ofertas para o altar; entram na

fila da “comunhão” para receber o pão abençoado e se sentirem incluídas e participantes. O Pároco conclui a historinha com uma breve alocução, às vezes para os pais, às vezes para as crianças.

A primeira parte da homilia pode ser substituída por um teatrinho infantil, criando condições para as crianças assimilarem mais facilmente valores evangélicos, familiares, artísticos, morais e culturais; e ao mesmo tempo, para aprenderem a viver dentro de limites, disciplina, solidariedade e busca de ideais possíveis e verdadeiros. O que as crianças aprendem entra pelos olhos, primeiro,  e pelos ouvidos.

Seria bom que a Paróquia colaborasse com os pais, oferecendo uma missa ou celebração própria para as crianças, com uma linguagem mais adaptada, ritmo, movimento, participação, gestos e símbolos próprios para sua idade. Elas precisam de espaço próprio e condições concretas de iniciação à vida comunitária e litúrgica, iniciação à oração e à participação.

PARÓQUIA CRISRO REI – J. CHAPADÃO – CAMPINAS

MISSAS: TODOS OS DOMINGOS ÀS 11H00

PÁROCO : Côn. Luiz Carlos F. Magalhães