Modelo de Paróquia

Padre Tiago Freitas, da Diocese de Braga, defendeu tese mostrando que “o atual modelo de paróquia não serve às necessidades de hoje. O “modelo tridentino de paróquia”, diz ele era um modelo excelente para aquela altura e deu resposta às necessidades de então. O contexto cultural era muito mais homogêneo do que o de hoje. Era uma sociedade tipicamente de campesinato, isto é, de aldeia, uma sociedade estática. Não era relevante a questão da mobilidade de transportes, da mobilidade de comunicação, e por aí adiante. Vivia segundo o imaginário de um padre para uma paróquia e para um povo. O contexto cultural de hoje é diferente e sua chave de leitura é a mobilidade: cultural, social e religiosa. Em minha tese apresento a paróquia alicerçada em quatro pilares: hospitalidade, gestação, comunicação e memória.
A HOSPITALIDADE é a capacidade de a paróquia criar condições para acolher os novos membros, independentemente do seu estilo de vida e do ponto em que estão na sua caminhada de fé. Antigamente, o contexto cultural e a paróquia eram estáticos. Hoje, sob este signo da mobilidade, é preciso estabilidade, por isso, é importante haver sempre alguém que acolha e acompanhe as pessoas.
A GESTAÇÃO é isto: antigamente a fé era algo quase hereditário. Eram os nossos avós e os nossos pais que nos introduziam na fé. Hoje em dia, os percursos são muito mais personalizados e individuais. Já não vamos só pelos nossos pais ou pelos nossos avós. Cada um é autor de seu próprio itinerário da fé. Este processo da gestação acontece num contexto de pequenos grupos e de ritmos personalizados.
A COMUNICAÇÃO tem a ver com o que o teólogo Karl Rahner dizia, e que alguns documentos do Concílio Vaticano II também o dizem, ou seja: aquilo que Deus quer é, acima de tudo. comunicar-se a si mesmo, um processo chamado de auto-comunicação. Deus comunica-se para que nós possamos entrar em comunhão com Ele, para O conhecer. Daí que faça parte do código genético da comunidade, comunicar, ou seja, anunciar, evangelizar, dizer quem é Deus, quem é Jesus Cristo, quais são os seus valores e aquilo em que acredita. Se uma comunidade deixar de comunicar será uma comunidade morta.
A MEMÓRIA entra em correspondência com o outro fenômeno cultural que existe, que é o fato de muitos dizerem que vivemos numa sociedade sem memória, onde, às vezes, nos deparamos com esta loucura de pensarmos que o mundo começa conosco, que somos os pioneiros em tudo e colocamos em causa o que está para trás. A Comunidade Cristã deve fazer a apologia da sua memória, do seu patrimônio, e imortalizar ou potencializar esta memória.
Em suma: A hospitalidade e a gestação procuram principalmente promover o crescimento dos atuais cristãos, possíveis cristãos, ou simplesmente curiosos, enquanto a comunicação e a memória estão voltadas para a maturidade. As primeiras duas, mais num contexto de pequenos grupos, e as outras duas, mais voltadas para o grande grupo, que seria a comunidade celebrativa ou a grande comunidade”.
Padre Tiago recebeu nota máxima na Pontifícia Universidade Lateranense, em Roma. Fonte: Diário do Minho, 7 de setembro de 2017.


Assembleia sobre Iniciação Cristã

NESSA ASSEMBLEIA ARQUIDIOCESANA que acontece nos dias 30 de setembro e 07 de outubro, 2017,
É PRECISO INSISTIR EM ALGUMAS IDEIAS FUNDAMENTAIS:

1. É preciso abandonar as estruturas caducas que não favoreçam a transmissão da fé e descobrir novas formas de reunir as pessoas de modo que possam se acolher, conhecer e partilhar a vida.
2. É preciso criar Equipes de Pastoral que respondam ao Projeto “Igreja em saída”, abandonando uma pastoral de conservação, que sempre planeja as mesmas atividades de maneira repetitiva, baseada apenas em cursos, sem reflexão, sem pensar na missão.
3. É preciso criar Comissões de Pastoral, especialmente de catequese e liturgia, que estejam voltadas para o serviço das Paróquias, promovendo cursos e encontros de formação em paróquias ou foranias, deixando de lado a excessiva preocupação em criar estruturas, como Comissões diocesanas com representantes de foranias e, reuniões que nada produzem de concreto, e nem se prestam a formar o “discípulo missionário”, pelo tempo insuficiente que é utilizado para a reunião e/ou encontro de Forania.
4. A Arquidiocese precisa se preparar para implantar esse projeto de uma “Igreja, Casa de Iniciação Cristã”, tendo assessores e Comissões de Pastoral que estejam presentes em paróquias ou grupos de paróquias para dar formação.

Estes pensamentos não têm a presunção de criticar, julgar ou avaliar a pastoral da Igreja de Campinas
Mas apenas ser sugestão para o encaminhamento de um Projeto que supõe mudança de mentalidade,
consciência de Igreja, unidade pastoral, assessoria e acompanhamento constante da de assessores da Arquidiocese.

Algumas ideias sobre o tema já foram apresentadas em meu livro “Paróquia Ontem e Hoje, Conversão das Estruturas”,
publicado para estudo da Paróquia Cristo Rei, em julho de 2013
o qual trata também da Iniciação Cristã.

Ass. Padre Magalhães, pároco.


Orando pela Pátria

Pai misericordioso. Diante do grave momento vivido por nosso país, dirijamos nossa oração a Deus, pedindo a bênção da paz para o Brasil. Para construirmos a justiça e a paz, em nosso país, necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar. Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Nós cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana. Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos. Neste ano em que celebramos os 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida, queremos seguir o exemplo de Maria, permanecendo unidos a Jesus Cristo.que vive e reina na unidade do Espírito Santo. Amém.


Temática da Missa de Domingo

A liturgia do 22º Domingo do Tempo Comum convida-nos a descobrir a “loucura da cruz”: o acesso a essa vida verdadeira e plena que Deus nos quer oferecer passa pelo caminho do amor e do dom da vida (cruz). O cristão não existe sem a dimensão da cruz. Ela é sumamente necessária. Devemos olhar para Jesus, que venceu o mal e a morte, e nos fortalecermos, a fim de que o Reino aconteça de fato no meio de nós.


Leia sempre o Quadro Mural

NOTÍCIAS DIVERSAS

CATÓLICOS NA CHINA

Os católicos da China não gozam de plena liberdade de culto. Os crentes são olhados com desconfiança. Foi criada uma Igreja oficial, controlada pelo Governo, de forma a afastar os cristãos da autoridade do Papa. No mundo há uma fundação que cuida do assunto e se chama “Ajuda à Igreja que Sofre” (AIS). Num relatório diz a fundação que as autoridades chinesas “consideram como ameaça para a segurança nacional todas as confissões religiosas”.  O número de católicos na China chega a 12 milhões.

 

DIA DA VOVÓ OU VOVÔ

O tempo passa rápido e quando os pais percebem já são avós. Essa pode ser para eles a oportunidade para viver os melhores dias. Os netos fazem os avós voltarem à infância. Voltam a ver  o mundo com os olhos da inocência, como se estivessem a ver pela primeira vez. O vovô dizia: “Poderá haver coisa mais encantadora do que ser acordado, de manhã, por uma neta que dorme ao seu lado e ouví-la perguntar, sentando-se na cama: Vovô, eu não te disse ontem que amanhã era hoje?” Um outro avô me dizia: “É bom ser avô; a gente só estraga; depois, que os pais a componham”. Mas gostoso ainda é ouvir da netinha: “Avó, essas ruguinhas são lindas!”  É assim: se a tristeza abate o casal… se os pais se separam… Se os pais precisam viajar… para onde correm os pais? Para a casa dos avós…

 

PENSAMENTOS

1. O Ser Humano está sujeito a todo tipo de situação que não depende de uma decisão unicamente pessoal. Para que ele decida algo, é levada em conta uma série de fatores que vêm desde a concepção até a educação, a formação ética e religiosa. O MEIO AMBIENTE EM QUE VIVE É DETERMINANTE NA FORMAÇÃO DO CARÁTER E DA HIERARQUIA DE VALORES E DAS SUAS ESCOLHAS. A velha frase ainda vale: “Diga-me com quem andas e direi quem és! Ou então: “Diga-me o que comes e direi quem és!”.

 

2. Falamos de pessoas em situação de rua. Esse era um privilégio das grandes cidades. Hoje tornou-se fato corriqueiro no interior de nosso país. Diante de tal quadro como agir? Como buscar uma solução para as cidades e para as pessoas que estão nessa situação?

 

3. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doenças e de outros agravos, e ao acesso universal e igualatário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. E daí? O que nossos governantes fazem nesse sentido? O que nossos vereadores fizeram em favor da população. Em tempo de eleições é preciso pensar em escolher bem aqueles que vão representar o povo. Como você se prepara para tomar uma decisão acertada e fazer uma boa escolha.?