Receita para um ano novo de paz

Por Pe. Flávio Sobreiro | Canção Nova

Não tenha medo de recomeçar. Nem sempre é fácil deixar aquilo que nos aprisiona. Liberte-se das prisões que criou para si mesmo. Olhe ao seu redor e veja que, na liberdade madura, você pode ser mais feliz do que sendo prisioneiro de seus pecados. Liberdade conquista-se com responsabilidade; e a maturidade é o fruto das escolhas bem realizadas. Abra os cadeados que o impedem de ver a vida com mais otimismo. Despeça-se do mau humor. Viva com mais leveza e pare de achar o lado ruim das pessoas e das situações. Chegou o momento de viver a vida com mais gratidão. Mais um ano mal-humorado será insuportável para você mesmo.

Sempre é tempo de praticar gestos de bondade

Fuja das trevas e caminhe na luz. Um novo ano é sempre uma nova oportunidade de buscar a luz. Deixe-se iluminar pelo bom exemplo das pessoas. Busque amizades que agreguem valor a sua vida. Despeça-se das situações que ofuscam sua visão. Você foi criado para iluminar-se. Seja luz! Brilhe amando! Ilumine semeando esperança!

Acredite que sempre é tempo de praticar gestos de bondade. Não espere o momento ideal para ajudar alguém. Faça de cada situação uma oportunidade única para praticar o bem. Faça de cada dia deste novo ano o tempo de amar. Faça a diferença! Acredite na força do amor partilhado.

Pequenos gestos fazem grandes diferenças

Seja misericordioso. Acolha a todos com um sorriso verdadeiro e um abraço fraterno. Pequenos gestos fazem grandes diferenças quando praticados com amor. Seja ponte que une e não muro que separa. Ajude os necessitados e cada dia deste ano novo será um Natal permanente. Visite os enfermos e celebre a liturgia da caridade, no altar de cada leito de dor. Ofereça sua bondade sem esperar retorno. Quem semeia com amor colhe sorrisos de gratidão.

A oração é alimento da alma e fortaleza na vida

Ore mais. A oração é alimento da alma e fortaleza na vida. Em cada oração, unimo-nos mais profundamente ao coração de Deus. Mesmo em meio às lágrimas e dificuldades, busque o auxilio e a segurança d’Aquele que nunca nos abandona. Em Deus somos acolhidos no amor e na misericórdia. Nosso Pai celestial jamais abandona um filho necessitado. Seja na dor ou na alegria, busque Deus com amor. N’Ele somos amados eternamente.

Acredite em si mesmo

Você é protagonista da mais bela história da vida, da qual Deus o fez personagem principal. Sua missão começa com um sorriso de bondade e se expande pelo mundo com pequenos gestos de amor. No palco da vida, você é obra divina da criação. Você foi gerado no amor de Deus. Em sua alma estão impressas as marcas da divindade. Você é fruto de um amor eterno, por isso mesmo, faça deste novo ano o início de um novo tempo na sua história. Seja para o mundo a realidade de um novo tempo. Seja de Deus! Seja feliz com Deus!


Epifania do Senhor: “Jesus se manifesta a todos os povos”

Padre Alessandro Henrique explica solenidade da Epifania do Senhor, ou o Dia de Reis, celebrada neste domingo, 6

Julia Beck | Canção Nova

A Igreja celebra neste domingo, 6, a Epifania do Senhor, ou o Dia de Reis. A festa, que marca o fim do tempo do Natal e o início de um novo tempo litúrgico, é, segundo o padre Alessandro Henrique, pároco da Igreja Cristo Rei – localizada em Lorena, interior de São Paulo —, uma solenidade cheia de significados, a começar pelo nome que lhe é atribuído, “epifania”.

A palavra, que tem origem grega, significa manifestação. “Epifania é a manifestação de Deus, lembrando que Jesus Cristo nasceu no silêncio da noite. Foi revelado apenas a alguns pastores, como é narrado na sagrada escritura, e os anjos, a corte celeste que ali glorificaram a Deus. Então, quando Jesus se manifesta a todos os povos, nós damos este nome de Epifania, a manifestação de Deus”, explicou o sacerdote.

Além da Epifania do Senhor, a Igreja celebra também a Epifania do Batismo do Senhor e a Epifania das bodas de Caná. “São três momentos em que Jesus Cristo manifesta o poder de Deus. Na Epifania com os três reis magos, Ele se manifesta ao mundo, nas bodas de Caná Ele manifesta a sua experiência de Messias que veio para nos salvar, e no batismo nós vamos lembrar o momento em que Jesus Cristo é batizado no Rio Jordão. O céu se abriu e uma voz disse: ‘Eis o meu filho amado no qual coloco toda a minha alegria’. Ali, o Espírito Santo pousou sobre Ele e, mais uma vez, Deus se manifestou”, comentou padre Alessandro.

Os magos

Os reis magos, citados apenas uma vez nas Sagradas Escrituras por São Mateus, representam, de acordo com o sacerdote, todos os povos. “Os magos representam todos os povos, na pessoa daqueles três que chegaram a Jesus Cristo naquela manjedoura, eles fizeram a experiência de encontrar o menino, depois de revelado que o Messias, o Salvador havia nascido. Se Jesus nasceu no silêncio do Natal, na pessoa dos reis ele se manifesta a todo o mundo”, revelou o padre.

Diante da falta de detalhes documentais sobre os reis magos, foram atribuídos a eles, significados, nomes e interpretações. Estes conceitos fazem parte, segundo padre Alessandro, da fé popular, ou crendice popular: “Conforme as festas foram evoluindo, crescendo, foram lhes atribuindo características. Podemos fazer uma interpretação bíblica de que Deus se manifesta a todos os povos naqueles magos, e uma interpretação popular daqueles reis que oferecem presentes a Jesus e a festa dos Reis. A Igreja acolhe a pureza da fé daquele povo que celebra essa festa”.

As decorações natalinas

Padre Alessandro esclareceu o porquê da data representar a retirada das decorações natalinas: “Como é encerrado o tempo do Natal, não tem porquê continuar com as decorações natalinas, então se faz a festa dos reis magos e naquele dia se retira a decoração para dizer: ‘Acabou o tempo do Natal, a Igreja começa um novo tempo’.


Agenda de celebrações para o período de Natal e fim de ano

Confira a agenda de celebrações que o Padre João Passadore presidirá na Paróquia Cristo Rei no período do Natal e de fim de ano.

  • 20 de dezembro, quinta-feira, às 20h, celebração penitencial.
  • 24 de dezembro, segunda-feira, às 20h, Missa da Vigília de Natal
  • 25 de dezembro, terça-feira, às 20h Missa do Natal do Senhor
  • 31 de dezembro, segunda-feira, às 20h, Missa da Vigília do Ano Novo

Não haverá celebrações no primeiro dia do ano.


Advento: tempo de preparação para a chegada do filho de Deus

A celebração do Natal, data em que a Igreja festeja o nascimento do menino Jesus em Belém, está chegando. A segunda maior festa cristã é um momento especial para todos os fiéis e marca o tempo litúrgico do ‘Advento’ – palavra de origem latina que significa “chegada”, “aproximação”, “vinda”.

Este ano, o Advento começa no dia 2 de dezembro e durante os quatro domingos que antecedem a comemoração da vinda do Filho de Deus entre os homens, a liturgia apresenta três personagens que ajudam os fiéis nesta caminhada: o profeta Isaías, cujas profecias dão um tom especial a este tempo litúrgico; o grande profeta do deserto, João Batista que, hoje como no passado, parece ser ‘voz que grita no deserto’ e, Maria, a Mãe que, qual ‘serva do Senhor’, acolhe e doa o Filho à humanidade.

 “A liturgia, de maneira simples e profunda, propõe-nos esses grandes modelos para aprendermos a viver bem este tempo e tornar mais transparentes e luminosas as nossas vidas”, ressalta o bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Armando Bucciol

O bispo explica ainda que o tempo do Advento prepara os fiéis para a renovação da fé em Jesus, despertando em si mesmo, sobretudo, atitudes de espera e de acolhida.

“Examinemo-nos, com sinceridade: em nossa vida o que esperamos? Quais esperanças nos sustentam no dia-a-dia?  De quem esperamos salvação? Esperamos, de verdade, um Salvador divino ou colocamos a nossa esperança de salvação em líderes humanos e em soluções da tecnologia, da bolsa, da política, da cultura, dos ‘ídolos’? Que lugar ocupa Jesus a quem chamamos de Salvador?”, destaca.

O Advento é tempo de alegria, espera e esperança. Um momento de forte mergulho na liturgia e na mística cristã. Neste período, há o despojamento das igrejas, é usada a cor roxa, não se canta o hino do Glória e as leituras ajudam a refletir sobre o mistério do Cristo que virá no final dos tempos. Dom Armando explica que a melhor preparação para este tempo é vivenciar atentamente às propostas da liturgia que, com riqueza de mensagens, vai conduzindo quem acolher o que a Palavra propõe.

“Aprenderemos a rever nossas expectativas, purificar nossos sonhos e projetos de salvação, tornar mais sóbria e essencial a nossa vida, e sermos, com a graça de Deus, capazes de tornar nossas vidas mais atentas a acolher o sentido da vida. Então, sim, quando chegar o Natal será repleto não tanto dos dons (pobres) do papai Noel, mas da riqueza simples e humilde do Filho de Maria, que é o Filho de Deus, Jesus, nosso Senhor”, afirma

O Tempo do Advento marca o início do ano litúrgico e traz com ele, para o ano litúrgico de 2019 o ciclo de Leituras do Ano C, marcado pela leitura predominante do evangelho de São Lucas.

Como se estrutura o Tempo do Advento

O tempo do Advento não tem um número fixo de dias e depende sempre da solenidade do Natal. Ele começa no primeiro domingo após a Solenidade de Cristo Rei e se desenvolve até o momento anterior à tarde (1ª Vésperas) do Natal, ou seja, quatro domingos celebrativos. O terceiro domingo do Advento é chamado de domingo da alegria (gaudete, em latim) por causa da antífona de entrada da missa (Alegrai-vos sempre no Senhor), mostrando a alegria da proximidade da celebração do Natal. O tempo do Advento se divide em duas partes. A primeira, que vai até o dia 16 de dezembro, é marcada pela espera alegre da segunda vinda de Jesus. A segunda, os dias que antecedem o Natal, se destaca pela recordação sobre o nascimento de Jesus em Belém.

Árvore de Natal X Nascimento de Jesus

O pinheiro enfeitado com luzes e enfeites coloridos se tornou o grande símbolo do Natal. Segundo informações históricas, sua origem provém dos países do norte da Europa. O pinheiro e o abete, são árvores típicas destas terras, plantas que se mantêm sempre verdes, sinal de vida que não morre.

Mas a pergunta que todo ano é feita: qual o dia certo para montar a árvore? Não tem um dia marcado. Mas recomenda-se a montagem no primeiro domingo do tempo do Advento. Este ano, a data cai no dia 2 de dezembro. O presidente da Comissão para Liturgia da CNBB ressalta que, neste período, o destaque maior deve ser a dimensão pedagógica e espiritual contida também na Árvore de Natal.

“Enquanto nas famílias e comunidades se arruma a árvore de natal é importante ajudar as crianças a compreender essas histórias, evidenciando a riqueza do simbolismo da luz, que é Jesus. Uma árvore sem Ele, seria como uma lâmpada queimada. Junto à árvore, construa-se também o presépio, cuja tradição dá um sentido mais explícito ao Natal dos cristãos”, dom Armando.

Fonte: CNBB


Solenidade da Imaculada Conceição

No próximo dia 8 de dezembro, a Igreja celebra a Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, a mais alta e preciosa festa dedicada a Maria Santíssima, chamada a Rainha de Todos os Santos, a Mãe do Salvador. Em Campinas, Nossa Senhora da Conceição é Padroeira da Arquidiocese da Cidade e Titular da Catedral Metropolitana.

Celebrações

Para celebrar este dia de festa, sairá procissão, às 8h30, da Basílica Nossa Senhora do Carmo até a Catedral Metropolitana, com a participação do povo das Paróquias da Arquidiocese de Campinas, do clero, dos seminaristas, dos religiosos e religiosas. Às 9h, o Mons. José Eduardo Meschiatti, Administrador Diocesano, presidirá Missa Solene da Padroeira.

Na Paróquia Cristo Rei, a Missa em comemoração da Solenidade será celebra às 19h.

Já na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, Catedral Metropolitana de Campinas, as comemorações terão início em 29 de novembro com a Novena em preparação à Festa da Padroeira.

No dia 08 de dezembro, Solenidade da Imaculada Conceição, haverá a Procissão saindo da Matriz do Carmo às 8h30 e Missa Solene no âmbito arquidiocesano às 9h. Depois serão celebradas Missas às 12h15 e às 18h.

Fonte: Arquidiocese de Campinas


Programação da Festa do Padroeiro – Festa do Cristo Rei

No mês de novembro temos a festa do nosso Padroeiro – Festa de Cristo Rei. Veja a programação e participe.

22/11, Adoração Eucarística, às 20h

23/11, Terço Meditado, às 20h

24/11, Missa do Padroeiro às 19h. Após a missa, venda do tradicional Bolo do Padroeiro

Dia 25/11, Procissão seguida de Missa Solene, às 9h. Após a missa, venda do tradicional Bolo do Padroeiro

Sobre a Solenidade

A celebração da Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, fecha o Ano Litúrgico em que meditamos, sobretudo, no Mistério de sua vida, sua pregação e o anúncio do Reino de Deus.

Cristo Rei anuncia a Verdade e essa Verdade é a luz que ilumina o caminho amoroso que Ele traçou, com sua Via Crucis, para o Reino de Deus. “Tu o dizes: eu sou rei. Para isso nasci e para isto vim ao mundo: para dar testemunho da verdade. Quem é da verdade escuta minha voz.” (Jo 18, 37) Jesus nos revela sua missão reconciliadora de anunciar a verdade ante o engano do pecado.

Assim Jesus Cristo é o Rei e o Pastor do Reino de Deus, que nos tirando das trevas, nos guia e cuida em nosso caminho para a comunhão plena com Deus Amor. (Fonte: Canção Nova)


Oração diária pela Paz no Mundo

Queridas pessoas, nunca tivemos tanta insegurança no dia a dia, um mundo tão sofrido pela opressão de tantos governos, por tantos vícios, crimes, corrupção, violência, abuso e medo pelo futuro de nossos jovens.

Eis uma ideia sensacional e extraordinária:

Durante a Segunda Guerra Mundial, um conselheiro do Primeiro Ministro Winston Churchill organizou um grupo de pessoas para que, a uma hora determinada, todas as noites, parassem o que estivessem fazendo para orar de forma coletiva pela paz, pela segurança e pelas pessoas na Inglaterra.

Assim fizeram todos os dias, e era como se a cidade ficasse em suspenso, tal era o poder da oração. Teve um efeito tão assombroso que, em pouco tempo, cessaram os bombardeios!!

*Estamos agora nos organizando de novo, um grupo de pessoas de diferentes nacionalidades*, para orar durante um minuto pela segurança de nossos países, para o fim dos problemas que nos oprimem e angustiam e para que Deus guie as decisões de nossos governantes.

Vamos nos encontrar nos seguintes horários:

 

Brasil 18 h

Espanha 16:00 h

Ilhas Canárias 15:00 h

Costa Rica 20 h

Colômbia 19 h

Nicarágua 20 h

Equador 19 h

Guatemala 20 h

México 20 h

Panamá 19 h

Honduras 18 h

El Salvador 20 h

Venezuela 18 h

Uruguai 17 h

Paraguai 17 h

Argentina 17 h

Chile 17 h

 

Pedimos que se unam a esta campanha. Vamos nos deter por um minuto todos os dias, no horário indicado, e pedir pela paz no mundo, para que terminem os conflitos e se restabeleça a tranquilidade a todas as nações do mundo e para que as famílias busquem em Deus sua segurança e salvação.

Se entendêssemos o enorme poder da oração ficaríamos assombrados!!!

Se puder compartilhar com seus contatos, podemos conseguir um milagre com nossa oração.

Coloque o alarme do seu celular para todos os dias 18:00 orar 1 minuto pela paz 🙏


SEMANA SANTA – SEMANA MAIOR

Após as cinco semanas da Quaresma, a Liturgia nos convida a celebrar a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus. Em muitos templos, ainda hoje, as imagens são cobertas com pano roxo para que as atenções se voltem exclusivamente para os momentos de vida daquele que se encarnou em nossa realidade humana para fazer acontecer a Reconciliação da humanidade com Deus e de Deus com a humanidade. Jesus de Nazaré, o Filho de Deus, é o Pontífice que realizou a Promessa do Pai: “obediente até a morte, e morte de cruz”.

Dia 25 de março – 9h30 – Praça ao final de Av. João Erbolato

As cerimônias se iniciam com a lembrança da Entrada de Jesus em Jerusalém. O povo recolhe palmas e ramos de oliveira, coloca suas vestes no chão e aclamam “Aquele que vem em Nome do Senhor”. Ele vem montado em um burrinho, acompanhado dos apóstolos.

Na paróquia, após a bênção dos Ramos, na praça, a procissão segue até o templo, com os adultos, crianças e jovens da catequese. Durante a caminhada, são feitas as leituras da missa. A entrada no templo é solene: todos agitam seus ramos e se preparam para a Leitura da Paixão.

Dia 27 de março – 19h45 – Rito Penitencial realizado no Templo

Com o Templo pouco iluminado, o povo se reúne para se preparar espiritualmente para o Tríduo Pascal, participando do Sacramento da Penitência. Um momento de reflexão sobre as atitudes de vida, à luz do evangelho. Silêncio, exame de consciência, arrependimento dos pecados, ações e omissões, fazem parte do rito. É o Senhor que estende a sua mão para acolher, perdoar, abraçar, como fez ao filho pródigo, à ovelha perdida.

Dia 28 de março – 19h45 – Via Sacra no Templo

O caminho da cruz foi muito doloroso para Jesus, depois de uma noite de tortura e sofrimento. Precisa ser meditado. O povo se reúne no templo para fazer o caminho sagrado da cruz: meditar nos sofrimentos de Jesus e, perceber, ao mesmo tempo, como a Paixão de Jesus continua no sofrimento dos migrantes, refugiados, vítimas de guerras, moradores de rua, enfermos, idosos, crianças sem família… O Caminho da cruz é o caminho de todos nós que, de páscoa em páscoa, chegamos à Páscoa definitiva onde o Senhor nos espera.

Dia 29 de março – 19h45 – Missa da Ceia e do Lava pés

Antes de iniciar a paixão, Jesus reúne os discípulos no Cenáculo para celebrar a Páscoa, recordando a libertação do povo hebreu da escravidão do Egito, “passando” pelo Mar Vermelho (Ex 12). Durante a Ceia, Ele lava os pés dos discípulos, institui a Eucaristia e o Sacerdócio, e anuncia o Novo Mandamento. Em espírito de alegria, o povo acompanha a Missa e a cerimônia do lava pés que acontece após o evangelho.

Dia 30 de março – Adoração – das 7h00 às 14h30

Jesus é preso e levado para Tribunal: Caifás, Pilatos, Herodes. Uma tarde e uma noite de interrogatórios, tortura e sofrimento, num julgamento injusto e mal conduzido. Em pequenos grupos, o povo se reúne na Capela, especialmente preparada no Salão Social, para a Adoração. Alguns textos, com orações e músicas, são oferecidos para que o povo ore e medite comunitariamente.

Dia 30 de março – 15h00 – Celebração da Morte de Jesus

O caminho da cruz termina fora dos muros, no Monte Calvário, Gólgota ou Monte da Caveira. Jesus é pregado na Cruz e pronuncia sete palavras até o momento final: ”Tudo está consumado… Em tuas mãos entrego o meu espírito”. Não há missa. A liturgia é conduzida num clima de silêncio, leitura da Paixão, oração pelo povo, adoração da cruz e comunhão eucarística. À noite, 18h30, Via Sacra pelas ruas do bairro como gesto penitencial e testemunho da fé.

Dia 31 de março – 19h00 – Vigília Pascal

Sepultado antes do pôr do sol, num túmulo cedido por José de Arimateia, na sexta feira, o corpo de Jesus aí permanece. O sábado é dominado por completo silêncio. Na madrugada do domingo, 1º. dia da semana, rolam as pedras do sepulcro e Jesus ressuscita. A ressurreição do Senhor é celebrada na noite de sábado com toda solenidade: bênção do fogo novo, precônio pascal, leituras bíblicas, bênção da água, renovação das promessas do batismo, anúncio da ressurreição com o canto Glória e Aleluia, seguindo-se a eucaristia.

Dia 1º. De abril – Missas às 11h00 e 19h00

Jesus Ressuscitou. Aleluia! A Vida venceu a morte. Os cristãos são chamados a uma vida nova, que vence a morte, as dúvidas, o medo e os vazios da existência. Estamos todos como o discípulo Pedro, em processo de busca e encontro do Ressuscitado; somos todos como Madalena e o João, o discípulo amado: cremos à medida que amamos e conduzimos outros a essa mesma experiência. A morte e ressurreição são mistérios vividos hoje, neste mundo. Não são realidades para depois: morrer para o modo de vida que não é o de Jesus e orientar a vida para o alto.


Dia de Oração na Canção Nova

Dia 19 de outubro, quinta feira a Paróquia Cristo Rei fará uma visita à Canção Nova para participar de um Dia de Oração, Lazer, Palestra, Música, meditação e Celebração da Eucaristia. Sairemos às 04h00 – isso mesmo! – e estaremos de volta, em casa, pelas 19h30. Valor da passagem R$ 80,00. Faça sua inscrição quanto antes, na secretaria da Igreja porque são apenas 44 lugares. Não deixe para a última hora. LEVE SEU PAGAMENTO E anote seu RG na INSCRIÇÃO PARA A VIAGEM.  Milhares de pessoas costumam acompanhar a programação da Canção Nova pelo rádio, Internet e TV. São comuns também os acampamentos de jovens e adultos que vão buscar reflexão e oração para a vida pessoal e em grupo. 


Temática do 26o. Domingo TC

26º DOMINGO DO TEMPO COMUM  = Tema 

 Sim ou não: assim é o cotidiano de nossa vida. Ela é feita de tomada de decisões. Quem é bom pode deixar o caminho do Bem. Quem é perverso pode abandonar a vereda do mal. Por isso, Deus presente sempre chama e convida. As palavras preciosas de Jesus servem também para nós: “João veio a vós no caminho da justiça e não crestes nele… Nem mesmo fostes tocado pelo arrependimento… “.